“Tenho convicção de que Moro é um juiz ladrão, que utilizou seu poder para corromper a democracia brasileira e depois recebeu uma recompensa do governo de Jair Bolsonaro sendo nomeado ministro da Justiça”, disse em entrevista ao Jornal da Cidade, na Rádio Metrópole, nesta segunda-feira (15).

Na oportunidade, o deputado também criticou as conversas ocorridas entre o ex-juiz e o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol. “Ficou evidente que ele se posiciona como parte. Ele indicava testemunhas fora dos autos para acusação. Agora, se descobriu, ontem, ele e o próprio procurador falando sobre palestras, quanto eles ganhariam. Ele teve lado. E, o resultado da eleição teve a mão de Moro a partir do momento que ele tira da disputa o candidato que estava em primeiro lugar. E depois ele assume o ministério da Justiça. Eles não fizeram questa de esconder isso”, disparou.

Outro tema da conversa foi a pressão sofrida pela deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) após votar a favor da reforma da Previdência. Braga disse que não é admissível um parlamentar de direita liberal “ficar se fantasiando de esquerda”.

“Não acho justo quando você descamba para posições que possam ser machistas. […] Esse discurso de que o voto foi pelo bem do Brasil precisa ser necessariamente combatido para já”.

Fonte: Metro 1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here